Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > NOTÍCIAS > EPM/Unifesp participa de pesquisa internacional
Início do conteúdo da página

EPM/Unifesp participa de pesquisa internacional

Publicado: Quinta, 06 de Agosto de 2020, 17h16 | Acessos: 7448

Estudo investiga impacto da pandemia na saúde mental

 Por José Luiz Guerra

Uma pesquisa internacional está investigando os impactos da pandemia de Covid-19 na saúde mental dos habitantes de países que sofrem com as consequências causadas pelo coronavírus. A Universidade Federal de São Paulo, por meio da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) - Campus São Paulo é uma das instituições brasileiras que participam do estudo, ao lado de pesquisadores de outras importantes instituições públicas de ensino: André Brunoni da Universidade de São Paulo (USP-SP), Samira Valvassori da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) e Felipe Schuch, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Pela EPM/Unifesp, participam do projeto Ary Gadelha e Jair Mari, docentes do Departamento de Psiquiatria da EPM/Unifesp, Sintia Belangero, professora do Departamento de Morfologia e Genética e Zila Sanchez, que leciona no Departamento de Medicina Preventiva, além dos alunos de pós-graduação Laís Moreira Fonseca e Carlos Gustavo Costardi, ambos ligados ao Departamento de Psiquiatria. 

Realizado por 200 pesquisadores de 35 países, o estudo, denominado Collaborative Outcomes study on Health and Functioning during Infection Times (COH-FIT) foi aprovado por várias organizações profissionais nacionais e internacionais e visa identificar quais fatores afetam a saúde mental das pessoas durante os tempos de infecção e com diferentes níveis de restrições, além de identificar fatores de risco e proteção que informarão os programas de prevenção e intervenção, tanto para a pandemia de covid-19, quanto para outras que venham a ocorrer no futuro. 

O estudo coletará informações de mais de 100 mil participantes, que residem em mais de 30 países diferentes nos seis continentes e em 25 idiomas diferentes. Por enquanto, no Brasil, podem participar pessoas a partir dos 18 anos de idade que responderão, sem serem identificadas, questões referentes aos dados demográficos, profissão, situação atual de saúde física e mental, além de fatores ambientais, antes da pandemia e durante a ocasião de cada aplicação dos questionários. O link para o questionário e outras informações sobre o estudo estão disponíveis na página do COH-FIT. A participação do Brasil é fundamental devido ao grande impacto que a pandemia teve no país e uma ampla participação da população é essencial para planejar estratégias de prevenir um aumento dos transtornos mentais após a pandemia.

Coh Fit brasil portal

Categoria:

Novembro azul: "Ela têm próstata"

O Clube do Saber trará pílulas do conhecimento neste mês

Seus ossos não fazem parte de um quebra-cabeça

Previna-se contra a osteoporose

Outubro Rosa e o autocuidado

Faça os exames de rotina e, na dúvida, busque um especialista

Fim do conteúdo da página