Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > INFORMES > Acolhimento Psicossocial Intercultural
Início do conteúdo da página

Acolhimento Psicossocial Intercultural

Publicado: Sexta, 09 de Outubro de 2020, 10h07 | Acessos: 11782

imageedit 1 9682304981

 

APRESENTAÇÃO  

     Adentrar um outro universo cultural não é tarefa fácil e a depender do contexto social pode ser facilitado ou dificultado.  Os contatos interculturais apresentam desafios subjetivos profundos nossa forma de ser, pensar, normas sociais, hábitos, relações familiares, de trabalho e concepções de saúde são colocadas em xeque. 

     Este projeto volta-se para a promoção e prevenção em saúde mental para pessoas que vivem entre fronteiras culturais como imigrantes, descendentes de imigrantes, pessoas em situação de refúgio, indígenas e retornados. O projeto conta com uma equipe em sintonia com as questões culturais envolvidas no processo de deslocamento.  Ao mesmo tempo em que  prestamos um serviço realizamos o aprofundamento do conhecimento acerca do fenômeno migratório.

    O acolhimento psicossocial intercultural se dá através de encontros presenciais no Ambulatório de Medicina Geral e Familiar (AMGF)  do departamento de medicina preventiva da UNIFESP, além da modalidade online para pessoas que vivem fora do estado ou país. Em período de pandemia, como a deflagrada em março de 2020,  com exceção de atendimentos de caráter emergencial, os atendimentos ocorrem de forma remota. Os atendimentos são realizados em português, espanhol, francês e inglês.

     O Acolhimento é um sub-projeto do projeto de Extensão “Interculturalidade e cuidado na E/I-Migração”,  código 16050, aprovado na câmara de extensão da Escola Paulista de Medicina e da Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal de São Paulo. Esse projeto dá continuidade renovada a projetos de Orientação Intercultural desenvolvidos anteriormente na Universidade de São Paulo e no campus Baixada Santista da UNIFESP. 

     Estamos continuamente construindo e ampliando a constituição de uma rede articulada de serviços e ações de saúde mental e demais direitos da população migrante. De forma contínua e constante, as demandas nos chegam através de nosso endereço institucional de email ou por telefone celular whatsap por encaminhamento de UBS, CAPS, hospitais, centros de acolhida, organizações civis, defensoria pública, ONGs, coletivos assim como de forma direta e espontânea por parte do migrante.

Lançamento Guia de Saúde Mental e Atenção Psicossocial para Migrantes e Refugiados

 
Link para o GUIA de Saúde Mental e Atenção Psicossocial para Migrantes e Refugiados (download gratuito):
 

 

 EQUIPE

andrezza

Andressa Martins

Psicóloga pelo Centro Universitário São Camilo, bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e Sociais (PCHS) da Universidade Federal do ABC (UFABC). Foi colaboradora voluntária do Comitê Nacional para Refugiados (CONARE) e é integrante de grupos de estudos sobre migração internacional, refúgio e categorias migratórias. Realiza atendimentos clínicos como psicóloga e pesquisa temas relacionados à mobilidade humana, saúde da população migrante, das mulheres e das pessoas LGBTQIAP+, promoção e defesa de direitos humanos, relações étnico-raciais, luto, lutos não-reconhecidos, ansiedade, depressão, relacionamentos interpessoais, intergeracionais e interculturais, saúde mental e trabalho, desenvolvimento pessoal, dentre outros.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4891853448458344

carmen

Carmen Lúcia Albuquerque de Santana

Medica pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1993), Residência em Psiquiatria pela Faculdade de Medicina USp (1997), mestrado em Medicina (Saúde Mental) (2001) e Doutorado em Ciências USP (2004). International Master in Mental Health Policies & Services pela Universidade Nova de Lisboa/Organização Mundial da Saúde (2013). Fundadora e coordenadora do Programa de Saúde mental para Refugiados em São Paulo (Caritas/ ACNUR) 1997-2007; e Projeto Arteterapia do Instituto de Psiquiatria do HC-FMUSP entre 2004-2008. Entre 2008 e 2010 participou da implantação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família como psiquiatra e pesquisadora na área de Saúde Mental na Atenção Primária. Atualmente é professora associada visitante no Departamento de Saúde Coletiva da Escola Paulista de Enfermagem UNIFESP. Orientadora de Aprendizagem na Educação a Distância da Escola Nacional de Saúde Pública, Fiocruz, RJ. Coordena o Projeto de Extensão Universitária A Cor da Rua desde 2010 na área de saúde mental de grupos vulneráveis especialmente população em situação de rua, imigrantes e refugiados. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa sobre Saúde, PolíticasPúblicas e Sociais CNPq. Professora e supervisora do curso de Especialização em Saúde Mental, Imigração e Interculturalidade (UNIFESP).

http://lattes.cnpq.br/6606709740942303

cizina 

Cizina Célia Fernandes Pereira Resstel 

Psicóloga pela Universidade de Marília UNIMAR (1993). Doutora (2019) e Mestre (2014) em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista UNESP Campus de Assis. Membro do “Projeto para desenvolvimento de apoio psicológico a dekasseguis retornados de Aichi, Mie e Shiga” da JICA (Japan International Cooperation Agency) em que esteve no Japão por 3 meses em 2012. Especialista em Psicoterapias de Orientação Psicanalítica  pela Faculdade de Medicina de Marília (2017). Durante 8 anos, morou no Japão como imigrante dekassegui. Co-autora do “Manual para o atendimento de brasileiros descendentes de japoneses” e autora do livro: “Desamparo psíquico nos filhos de dekasseguis no retorno ao Brasil”.

http://lattes.cnpq.br/3930389730565434

Crislene

Crislene Brito 

Psicóloga pela Universidade Federal de São Paulo UNIFESP (2017), mestre pelo  European Master in Migration and Intercultural Relations (EMMIR) na Carl Von Ossietzky Universität Oldenburg - Alemanha. Tem experiência clínica em atendimento à população imigrante a partir da Abordagem Intercultural. Sob a perspectiva decolonial, também atuou com grupos de acolhimento a estudantes negros inseridos na universidade pública.

http://lattes.cnpq.br/1141886153254070

Livia

Lívia Santos Ferreira 

Psicóloga pela Universidade Federal do Espírito Santo (2003). Formação em Psicanálise. Especialista em Saúde Mental, Imigração e Interculturalidade (2019) - UNIFESP.  Mestre em Saúde Coletiva- UNIFESP.  Desde 2015 atua atendendo imigrantes em situação de extrema vulnerabilidade social na cidade de São Paulo.

http://lattes.cnpq.br/5183647981514088

marcia

Márcia Zaia - Vice-coordenadora

Psicóloga pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo USP (1995). Especialista em Psicologia Hospitalar- Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (1998), Mestre em Ciências da Religião -PUCSP - bolsista capes/CNPQ - área de estudo psicologia intercultural e imigração (2006). Funcionária da Cooperativa Agenzia Sociale no Dipartimento di Salute Mentale di Trieste, Itália (1999 - 2001) onde trabalhou com refugiados curdos entre outras nacionalidades. Membro da equipe do Serviço de Orientação Intercultural USP (2005-2006). Facilitadora de grupos: Projeto Blend  Team: FOCO - Fundação Otacílio Coser. Psicóloga Clínica. Autora de artigos sobre imigração muçulmana no Brasil e co-autora dos livros:  “Olhares Femininos sob o Islâ” (2010) e “Diálogos Interculturais: Reflexões interdisciplinares e intervenções psicossociais” (2012)

http://lattes.cnpq.br/7084530741069338

gabriela

Maria Gabriela Mantaut Leifert

Psicóloga pela Pontifícia Universidade Católica PUC-SP (1984), Mestre em Psicologia Social USP, Terapeuta de Casal e Família, Mediadora de Conflitos, Terapeuta Intercultural, especializada em famílias estrangeiras. Coordenadora e Supervisora da Clínica de Mediação Instituto Noos, Membro da Diretoria APTF gestão 2014/2018 e 2018/2020, Facilitadora de Grupos e Sócia Fundadora Sanga 8 Cursos para Desenvolvimento Profissional. Professora e Supervisora do Curso de Especialização Saúde Mental Imigração e Interculturalidade UNIFESP.

http://lattes.cnpq.br/3072874765045570

Nana

Nana Silva Foster 

Psicóloga pelo Centro Universitário de Brasília -UniCEUB (2010). Mestre em Saúde Coletiva UNIFESP (2017). Psicóloga e professora no Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina/UNIFESP  área de Política, Planejamento e Gestão em Saúde. Membro do Laboratório de Saúde Coletiva – LASCOL. Membro do Projeto de Pesquisa Imigração, Saúde Mental e Interculturalidade UNIFESP. É tutora no Programa de Educação para o Trabalho – PET-saúde. Membro  da pesquisa Desigualdades e Vulnerabilidades na Epidemia de Covid-19 UNIFESP.

http://lattes.cnpq.br/1778619568116064

nathalia

Nathalia Campos

Psicóloga pela Universidade de Brasília (2014) e mestre em Direitos Humanos e Gestão de Conflitos (Scuola Superiore Sant'Anna, Itália). Possui experiência trabalhando com ONGs e agências das Nações Unidas com temas relacionados aos direitos humanos de pessoas em situação de refúgio e migração, em especial em relação ao direito à saúde, saúde mental e atenção psicossocial, justiça de gênero e saúde sexual e reprodutiva. Faz parte da Rede Latino Americana de Psicologia Social, com foco em migrações, deslocamentos e Inclusão (LAEUMiDI) e de outras redes focadas em migrações e interculturalidade.

http://lattes.cnpq.br/0543641506481025

 sylvia

Sylvia Duarte Dantas - Coordenadora

Psicóloga pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP (1986), Mestre em Psicologia Aplicada (1992), Ph.D. em Psicologia Social - Boston University (1999) e pós-doutorado no Instituto de Psicologia da USP. Psicanalista pelo Instituto Sedes Sapientiae (2004). Idealizou e coordenou o Serviço de Orientação Intercultural IP-USP (2003-2009). Docente do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina UNIFESP. Coordena o Núcleo de Pesquisa Contato entre culturas, Imigração, Saúde Mental e Interculturalidade (CNPq). Vice-coordenadora grupo de Pesquisa Diálogos Interculturais no Instituto de Estudos Avançados IEA-USP. Idealizou e coordena o curso de Especialização Saúde Mental, Imigração e Interculturalidade na UNIFESP. Autora do livro "Changing gender roles: Brazilian immigrant families in the U.S." (2002), autora e co-organizadora do livro "Psicologia, E/Imigração e Cultura" (2004), "Diálogos Interculturais: Reflexões interdisciplinares e intervenções psicossociais" (2012), e do Dossiê Interculturalidades Revista USP (2017). 

http://lattes.cnpq.br/8283401196410951

Tabata

Tabata Duarte 

Psicóloga pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio - CEUNSP (2015). Aprimoramento em Clínica das Psicoses pelo Instituto A Casa (2019). Especialização em Saúde através da Residência Multiprofissional (2017) e Especialização em Saúde Mental, Imigração e Interculturalidade (2019) pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Atualmente é Responsável Técnica em Saúde Mental no Distrito Sanitário Especial Indígena Litoral Sul - SESAI/MS. Possui interesse nos temas: saúde indígena, saúde mental e bem viver, psicanálise, interculturalidade, práticas grupais.

http://lattes.cnpq.br/4320652677717379

 imageedit 1 3865442549 Jady Vilanova Alda - psicóloga
 

Psicóloga pela  Universidade Federal de São Paulo UNIFESP. Atuou de 2019 a 2022 como extensionista na Frente de Saúde Mental do PET Educação Popular - Criando e Recriando a Realidade Social. Foi Bolsista PIBIC - CNPq na área de Saúde do Trabalhador (2021 - 2022).

 http://lattes.cnpq.br/6521869418084190

imageedit 8 9769238800

Gabriela Hellmann Dircksen (colaboradora)

Médica pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) em 2018, com pesquisa em desenvolvimento infantil e neurologia. Psiquiatra pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) em 2022. Atualmente residente de Psiquiatria da Infância e Adolescência na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).  Atuação prévia em Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e, atualmente, no cuidado de pacientes com dependência química no município de São Paulo. Interesse no cuidado e pesquisa de populações em situação de violência.

http://lattes.cnpq.br/2396814125923902

 

Ex-integrantes:

 Caroline Medeiros (estagiária em psicologia)   http://lattes.cnpq.br/5749715276351301 
 Camila Borges (estagiária em psicologia)  http://lattes.cnpq.br/4043292024294388
 Edvan Washington Pereira da Silva(psicólogo) http://lattes.cnpq.br/3129917001769346
 Maria Célia Malaquias (psicóloga)  http://lattes.cnpq.br/6341602332808048
 Julia Bartsch (psicóloga)  http://lattes.cnpq.br/9794775615960296
 Marcella Monteiro de Souza e Silva  (psicóloga)  http://lattes.cnpq.br/4414081053138367
Maria Carolina Vita Nunes - Preceptora psicólogos  
Maria Luiza Moreno Carmona  
 Mayara Sandim (estagiária em psicologia)
 http://lattes.cnpq.br/6359799134369125
 Marina Broday (estagiária em psicologia)  
 Kamila Rocha - Mentora de estagiários e Psicóloga  http://lattes.cnpq.br/3022833748404006

Susana Gabriela Carrillo Le Roux  - Preceptora psicólogos

 

Bruna Almeida Silva - estagiária

http://lattes.cnpq.br/5022327559120803
Giovana - estagiária  

 

 

CONTATOS:

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
 
Whatsapp (11) 99179.1699
 

 

PARCEIROS

Biblia 

IE

 

 

Grupo de Pesquisa

Diálogos Interculturais 

Ambulatório de Psiquiatria

Departamento Psiquiatria EPM-UNIFESP 

Centro de cultura, pesquisa

e ações sociais

Projeto Práticas Desinstitucionalizantes

em Saúde Mental - Curso Psicologia UNIFESP

BS - Profa. Dra. Maria

Inês Badaró Moreira 

 


Programação de Encontros "Inquietações Interculturais": https://sp.unifesp.br/epm/medicina-preventiva/informes/encontros-inquietacoes-interculturais

 

 
Unifesp 25 anos | Conhecer, aprender, acolher
 

Em um mundo marcado por conflitos e violações de direitos humanos, é impossível considerar que alguém seja totalmente imune à possibilidade de, algum dia, ver-se na situação de refugiado. Forçadas a fugir de seu país pelo fundado temor de sofrer perseguição e violência, as pessoas em situação de refúgio precisam de apoio e acolhimento para reconstruir suas vidas nos países de destino. A Unifesp trabalha a temática do refúgio não apenas analisando seus efeitos, mas também aprofundando-se em suas causas e nos diversos fatores que se entrelaçam para sua compreensão. Junto dos esforços de entendimento, a Universidade também se mobiliza e busca parcerias para o acolhimento dessa população, através de projetos que reconhecem a diversidade, o potencial e a riqueza humana que as pessoas em situação de refúgio carregam consigo em seus deslocamentos forçados. 13º episódio da série Unifesp 25 anos: Universidade Pública, Conhecimento Público patrocínio: AFIP — Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa

 

 

Muitas vezes o tema das pessoas em situação de refúgio é tratado a partir de preconceitos que tendem a colocar essa população como problemática. Saiba mais sobre como, através de uma abordagem intercultural, pesquisadores e alunos da área de saúde da Unifesp desenvolvem trabalhos para desfazer esses equívocos, além de acolher e aprender com os deslocados. este vídeo faz parte do 13º episódio da série Unifesp 25 anos: Universidade Pública, Conhecimento Público 

 

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
Categoria:

Fim do conteúdo da página