Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Doação de corpos: um manifesto em vida para o progresso da ciência

Publicado: Sexta, 26 de Novembro de 2021, 00h00 | Acessos: 13900

Veja como doar seu corpo pode lhe dar uma segunda vida e salvar outras pessoas.

Por causa da generosidade daqueles que doaram seus corpos para a ciência, todos nós experimentamos: aumento da expectativa e  maior qualidade de vida. A necessidade de doar corpos para a ciência afeta todas as partes de nossas vidas. Se você já tomou algum tipo de medicamento prescrito, usou qualquer tipo de produto para a pele ou fez qualquer tipo de cirurgia, já se beneficiou de doadores que ajudaram a desenvolver todas as áreas da medicina. Doar o corpo é um manifesto, em vida, sobre o desejo de contribuir para o crescimento da ciência, de forma a beneficiar pesquisadores e alunos em seus estudos na área da saúde.

Para entender e esclarecer sobre a importância da doação de corpos para pesquisa, a assessoria de comunicação do Campus São Paulo, conversa com Sérgio Ricardo Marques - professor adjunto e chefe da Disciplina da Anatomia Descritiva e Topográfica da Escola  Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo - EPM/Unifesp).  

Quadro "A Lição de Anatomia do Dr. Nicolaes Tulp" -  Rembrandt. - Dissecções de cadáveres eram uma atração no século XVII. Domínio Público

Diferente da doação de órgãos, a doação de corpos é pouco popular no Brasil. Os anatomistas cada vez mais preferem usar somente corpos de pessoas que demonstram o desejo de doar, e lutam para divulgar a prática essencial para a formação de médicos e pesquisa em saúde.

Até 2017, a Unifesp recebia em torno de cinco doações por ano, o que permitia aulas com cerca de 25 alunos por corpo, quando o ideal seriam dez. 

Há um movimento dos pesquisadores para promover a utilização de corpos que foram doados à ciência, com a vontade expressa pela própria pessoa durante a vida. Não há um impedimento legal para usar corpos não procurados, é somente uma questão ética.

O material humano para pesquisa, está cada vez mais escasso, o que prejudica a qualidade do ensino oferecido. Por este motivo, a exemplo de como é realizado em outros países, Departamento de Morfologia e Genética está promovendo a campanha voluntária de corpo para o estudo anatômico, para que através dos corpos doados seja possível continuar formando profissionais com elevado grau de conhecimento da anatomia humana para sua atuação profissional em toda nossa sociedade.

Existe uma legislação sobre o assunto ?

A lei 10.406 de janeiro de 2002 estabelece que qualquer pessoa pode dispor de seu próprio corpo para uso científico após a morte. Como não há uma normatização nacional, a forma de efetivar uma doação pode variar. Nas esferas regionais geralmente existe um programa conduzido por universidades que orienta como proceder. Normalmente, o processo é simples. 

Quais são os doadores mais buscados ?

Mulheres e crianças são os preferidos: é difícil uma família doar o corpo de crianças por conta do trauma causado pela morte. Há muito mais homens que não foram identificados nos Serviços de Verificação de Óbito e os corpos não reclamados são doados depois de 30 dias e por isso, a quantidade de corpos de mulheres é menor.

Como o corpo será utilizado ?

Os corpos são utilizados em aulas de anatomia nas escolas de medicina. Há falta de corpos na área. Recomenda-se um corpo para cada dez alunos, mas, por conta do déficit, há cursos que não possuem cadáveres e usam moldes artificiais.

Os laboratórios de anatomia da Escola Paulista de Medicina - EPM/Unifesp são formados por duas grandes salas, cada uma com cerca de 15 mesas onde ficam os corpos usados na prática dos alunos. Há corpos em diferentes estados, mas como são todos preparados para estudos, mesmo os mais antigos são utilizados. 

Laboratório de Anatomia da Disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica - EPM/Unifesp

Esse processo de conservação é chamado de fixação e envolve o uso de produtos químicos — como o formol ou a glicerina — para que o corpo se mantenha útil para estudo por mais tempo. Todo o procedimento pode levar de três a seis meses, e graças a ele, corpos podem ser usados por mais de uma década.

Qual a importância do acesso a corpos por alunos ?

Existem universidades em que os alunos passam o curso inteiro sem ter contato com um corpo. Há algumas alternativas para minimizar o impacto da falta de cadáveres, mas nenhuma delas é capaz de substituí-los. Livros de anatomia podem trazer as ilustrações mais realistas que artistas e computadores conseguem gerar, mas não transmitem perfeitamente a ideia de dimensão e localização relativa, e não transmitem de maneira nenhuma sensações como a resistência da pele ao bisturi ou a textura de um órgão ao toque. Modelos em plástico ou resina e modernos simuladores em computador ajudam a formar uma ideia espacial, mas também não conseguem ser completos como um modelo real. A despeito de todo o avanço nos exames de imagem, impressão 3D de ossos e órgãos, ambientes de realidade virtual e simulação e que são excelentes instrumentos de ensino e pesquisa, não há substituto à altura do contato com espécimes anatômicos reais para o aluno de graduação, pós-graduação, especializandos e residentes da área de saúde que impacte tão fortemente no aprendizado.

Existem gastos para o doador e sua família?

O ato de doar não envolve custos, o que existem são os gastos do funeral. A Contratação do Funeral é de livre escolha da família quanto ao modelo da urna e se haverá ou não a realização do velório. Havendo velório, não há qualquer empecilho para que, após as homenagens, o corpo seja doado. Se o óbito ocorreu dentro da cidade de São Paulo, o funeral deverá ser contratado em uma das 14 agências funerárias do município de São Paulo.

A Unifesp NÃO retira o corpo, apenas recebe.

Quem pode doar ?

Excluindo-se as mortes por motivos ignorados, violentas e por acidente, que seguem técnicas específicas de perícia, não existem causas que dificultam a doação de corpos. Há muitas pesquisas que fazem uso de cadáveres e cada corpo doado será útil para alguma linha de pesquisa. Mesmo corpos que tiveram os órgãos doados podem ser usados. Ninguém precisa fazer uma escolha entre um ou outro.

Como garantir que o corpo será doado após a morte, em obediência ao desejo do doador?

Além de preencher os documentos e enviá-los à Disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica, é importante que o doador esclareça e informe seus familiares ou responsável de sua vontade, para que quando constatado o óbito, eles nos comuniquem para que possamos realizar os procedimentos necessários para receber o corpo. 

body Donated to ScienceFonte: (HealthLine)

O mais importante é que a pessoa tenha sempre consigo o cartão do doador, onde o responsável encontrará as instruções necessárias para providenciar a remoção do corpo.

Na disciplina há um formulário (Termo de Compromisso) que a pessoa preenche, assina e registra em cartório. Depois ela traz uma via até a universidade e guarda outra via consigo. Quando o doador vai a óbito, o familiar que sabe da decisão nos informa, traz sua via do documento, nós confirmamos que se trata de fato de um doador e prosseguimos para efetivar a doação.

Formulário com o Termo de Compromisso: Clique aqui

O que deverá constar na Certidão de Óbito? 

Ao ser constatado o óbito, o médico fornecerá uma “Declaração de Óbito”, contendo a assinatura dele e a causa mortis. Com esta declaração em mãos, juntamente com uma cópia da Intenção de Doação (site do Departamento de Morfologia e Genética), um familiar deverá comparecer ao Cartório de Registros mais próximo de onde ocorreu o óbito e providenciar a Certidão de Óbito. 

Na Certidão de Óbito, deverá constar no item “Sepultamento” o seguinte texto: “O corpo foi doado para estudos anatômicos para a Disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica do Departamento de Morfologia e Genética da Escola Paulista de Medicina - EPM/Unifesp”.

Somente após a Certidão de Óbito lavrada e devidamente entregue a Disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica é que o corpo poderá ser utilizado para estudos.

Qual é a importância da realização do Culto Ecumênico ?

Anualmente, os responsáveis pelo Programa de Doação de Corpo organizam um evento comemorativo para as famílias dos doadores, como forma de agradecimento.

O culto ecumênico consiste em uma pequena celebração, onde representantes das diversas crenças religiosas abordam aspectos sobre a vida e a morte do ponto de vista das religiões. Um membro do corpo docente fala sobre a importância de cada doação e o benefício que as doações representam à educação e pesquisa.

Após a cerimônia há uma confraternização que permite a alunos, docentes, técnicos e as famílias compartilharem histórias e troca de experiências.

Um convite é enviado aos familiares dos doadores (via telefone e e-mail). Entretanto, todos são bem-vindos a participar do encontro.

Os corpos de doadores podem ser velados ou passar pelos rituais de cada família normalmente. Após as despedidas particulares, as instituições receptoras orientam sobre o traslado do corpo. Alguns Estados avançaram nas políticas de doações e possuem acordos que facilitam o transporte, mas geralmente esse é um custo que precisa ser coberto pelos familiares.

Como fazer a doação do seu corpo ?

O movimento mais importante é convencer a família. Depois de você morrer, a palavra final será deles, mesmo com os documentos registrados. Explique que você poderá ser velado e até mesmo doar seus órgãos. A maioria das instituições transporta seu corpo até as instalações, embora não haja nenhuma remuneração.

howtodonatebodyFonte: The Conversation

A consciência da família é imprescindível para a consumação da doação. O documento é uma declaração de intenção, e não de obrigatoriedade. Se, após a morte, familiares não tiverem condições, ciência ou desejo de completar a doação, não há qualquer implicação legal. 

Como entrar em contato com o Programa de Doação de Corpo da Disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica - EPM/Unifesp ?

O Programa de Doação de Corpo da Universidade Federal de São Paulo está comprometido com a excelência em pesquisa científica e educação. Enquanto o foco principal do programa é obter o cadáver humano para proporcionar melhor estudo educacional e científico, nós nos esforçamos para administrar o referido Programa de uma forma eficiente, legal e com atitude de total respeito que deve caracterizar qualquer profissional da área de saúde.

Em contato com os doadores registrados no Programa de Doação de Corpo ou com as famílias do doador, após sua morte, nós podemos perceber que o serviço tem mostrado plena aceitação e eficácia.

Perguntas Frequentes

Acesse o site da Disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica para ver as dúvidas mais frequentes sobre o assunto: clique aqui

 

Programa de Doação de Corpo

Escola Paulista de Medicina - EPM/Unifesp
Departamento de Morfologia e Genética
Rua Botucatu, 740 – Edifício Leitão da Cunha (térreo)
04023-900 – Vila Clementino – São Paulo – SP
(11) 55764848 – ramal: 2213
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
Categoria:

Unifesp abre inscrições para Programas de Residência Multiprofissional em Saúde

Prazo para solicitação de isenção de taxa de inscrição vai até as 23h59 do dia 10/12

Unifesp realiza palestra com Andrew Pollard, investigador-chefe da vacina de Oxford/AstraZeneca

Em evento no Anfiteatro Leitão da Cunha, Pollard falou sobre as perspectivas relacionadas ao...

Dia do Fonoaudiólogo

Um profissional de grande importância para a saúde e a melhora na comunicação

Fim do conteúdo da página