Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

EPM/Unifesp participa de pesquisa internacional

Publicado: Quinta, 06 de Agosto de 2020, 17h16 | Última atualização em Quinta, 06 de Agosto de 2020, 17h18

Estudo investiga impacto da pandemia na saúde mental

 Por José Luiz Guerra

Uma pesquisa internacional está investigando os impactos da pandemia de Covid-19 na saúde mental dos habitantes de países que sofrem com as consequências causadas pelo coronavírus. A Universidade Federal de São Paulo, por meio da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) - Campus São Paulo é uma das instituições brasileiras que participam do estudo, ao lado de pesquisadores de outras importantes instituições públicas de ensino: André Brunoni da Universidade de São Paulo (USP-SP), Samira Valvassori da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) e Felipe Schuch, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Pela EPM/Unifesp, participam do projeto Ary Gadelha e Jair Mari, docentes do Departamento de Psiquiatria da EPM/Unifesp, Sintia Belangero, professora do Departamento de Morfologia e Genética e Zila Sanchez, que leciona no Departamento de Medicina Preventiva, além dos alunos de pós-graduação Laís Moreira Fonseca e Carlos Gustavo Costardi, ambos ligados ao Departamento de Psiquiatria. 

Realizado por 200 pesquisadores de 35 países, o estudo, denominado Collaborative Outcomes study on Health and Functioning during Infection Times (COH-FIT) foi aprovado por várias organizações profissionais nacionais e internacionais e visa identificar quais fatores afetam a saúde mental das pessoas durante os tempos de infecção e com diferentes níveis de restrições, além de identificar fatores de risco e proteção que informarão os programas de prevenção e intervenção, tanto para a pandemia de covid-19, quanto para outras que venham a ocorrer no futuro. 

O estudo coletará informações de mais de 100 mil participantes, que residem em mais de 30 países diferentes nos seis continentes e em 25 idiomas diferentes. Por enquanto, no Brasil, podem participar pessoas a partir dos 18 anos de idade que responderão, sem serem identificadas, questões referentes aos dados demográficos, profissão, situação atual de saúde física e mental, além de fatores ambientais, antes da pandemia e durante a ocasião de cada aplicação dos questionários. O link para o questionário e outras informações sobre o estudo estão disponíveis na página do COH-FIT. A participação do Brasil é fundamental devido ao grande impacto que a pandemia teve no país e uma ampla participação da população é essencial para planejar estratégias de prevenir um aumento dos transtornos mentais após a pandemia.

Coh Fit brasil portal

Categoria:

Dia Mundial sem carro

O primeiro passo é a sua atitude! 

SUS: 30 anos transformando a saúde no Brasil

A Lei 8.080/90 foi sancionada no dia 19 de setembro 

Morre Professor Elisaldo Carlini, um dos maiores cientistas brasileiros

Especialista reconhecido nacional e internacionalmente

Fim do conteúdo da página