Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Hospital Municipal Vereador José Storopoli

Publicado: Quarta, 14 de Outubro de 2020, 17h19 | Última atualização em Terça, 20 de Outubro de 2020, 13h33

Em julho de 1994 foi celebrado o convênio entre a Unifesp, a SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina e a Prefeitura do Município de São Paulo, esta última outorgando à primeira gestão plena do Hospital Municipal Vereador José Storopolli (HMVJS), com administração direta (OSS) a partir de Janeiro de 2010 que se mantém até a presente data.

A diretriz primordial da parceria acadêmica EPM/Unifesp – SPDM – HMVJS é a inserção do hospital no sistema de saúde local, atendendo às prerrogativas de regionalização e hierarquização, não só direcionando-o para o tratamento, mas preocupado com a promoção à saúde, estreitando laços com a comunidade, ampliando sobremaneira o conceito de hospital com compromisso social, buscando sempre unir a atividade acadêmica ao bom atendimento ao paciente.

O atendimento à mãe e ao neonato se inicia na admissão ao centro obstétrico, que possui infraestrutura para o atendimento de seis mães em trabalho de parto simultaneamente e dispõe de duas salas de parto. Os recém-nascidos aí recepcionados pela equipe de doutorandos, médicos residentes de pediatria e neonatologistas, são encaminhados à enfermaria de obstetrícia juntamente com suas mães em alojamento conjunto. Os recém-nascidos prematuros, com peso <2200g, ou que apresentem alguma patologia são encaminhados à unidade neonatal.

No ano de 2017, houve uma readequação transitória no número de leitos da Unidade Neonatal, atendendo à solicitação da PMSP , contado então com seis leitos cuidados intensivos, e seis leitos de cuidados intermediários convencionais e canguru. No método canguru as mães têm a opção de permanecer 24 horas cuidando de seu filho, recebendo treinamento sobre amamentação, higiene, banho e cuidados gerais com o recém-nascido. Também recebem orientações sobre as principais doenças que acometem os prematuros após a alta hospitalar, como observar seus sinais e as formas de prevenção. A Unidade dispõe de um aparelho de ecocardiograma/ultrassom que foi doado pelo Viver e Sorrir e médicos treinados em ecocardiografia funcional, o que possibilita a realização de exames no leito e, assim, o diagnóstico e tratamento precoces das complicações cardíacas, contribuindo para a melhor evolução imediata e em longo prazo dos prematuros.

A enfermaria de obstetrícia também possui 18 leitos para o binômio mãe-bebê.

A unidade neonatal conta com o apoio do posto de coleta de leite humano, que foi inaugurado em 2002 e contribui para o incentivo ao aleitamento materno, condição primordial para uma evolução saudável dos recém-nascidos. O posto de coleta está localizado na enfermaria de obstetrícia, junto ao alojamento conjunto, e atende à demanda de mães cujos neonatos encontram-se internados na unidade neonatal, realizando a coleta, armazenamento e distribuição do leite materno, além da orientação nos casos em que a amamentação é difícil.

Em 2018, ocorreram 2023 nascimentos vivos no Hospital Municipal Vereador José Storopolli, sendo 22 com peso ao nascer inferior a 1500g (1,08%), 135 (6,67%) com peso ao nascer entre 1500g e 2500g e 3 (0,14%) com malformação congênita maior. O número de partos cesarianos foi 580 (28,6%), que está em consonância com as recomendações internacionais. Embora preste assistência a prematuros, mantendo elevada qualidade técnica, o HMVJS não é uma instituição de referência para o atendimento de recém-nascidos de alto risco de morbidade e mortalidade. Por outro lado, vale ressaltar que a população atendida pela obstetrícia e, consequentemente pela equipe de neonatologia, é extremamente carente do ponto de vista cultural, social e econômico, sendo uma parcela expressiva de moradores das favelas e cortiços da região.

Desde 1994 os 115 (não tenho o dado de quantos passaram em 2018) alunos do sexto ano de medicina da EPM realizam o estágio teórico-prático de neonatologia nas dependências do hospital, em sistema de rodízio com período aproximado de um mês por grupo de alunos. De 2014 a 2017, a unidade neonatal contou como campo de estágio para o curso de residência médica na área de pediatria da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, buscando a complementação dos ensinamentos transmitidos em suas escolas de origem, tanto no campo teórico como no prático. Foram disponibilizadas 12 vagas para médicos residentes de primeiro ano, os quais realizaram estágio na unidade neonatal durante 2 meses.

Desde 2018 a unidade neonatal conta com o Programa de Saúde da Criança e do Adolescente que integra a residência multiprofissional da UNIFESP no total de 12 alunos por ano.

Em 2018 foram realizados treinamentos internos com a equipe multidisciplinar em relação a lavagem de mãos e cuidados gerais e específicos com recém-nascidos prematuros.

Categoria:

Tem início a V Semana do Servidor Público 2020 com ações conjuntas

Evento virtual acontece de 26 a 30 de outubro 

Dia Nacional de Luta pelos Direitos das Pessoas com Doenças Falciformes

Crises de dor afetam pacientes com a doença hereditária

Cursos da Unifesp avançam no Enade e alcançam nota máxima

Sete graduações receberam o conceito máximo (5)

A importância da Semana Nacional de Prevenção da Violência na Primeira Infância

Pais e profissionais de saúde devem estar alertas

Fim do conteúdo da página