Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Dia do Fonoaudiólogo

Publicado: Quinta, 09 de Dezembro de 2021, 00h00 | Acessos: 30982

Um profissional de grande importância para a saúde e a melhora na comunicação

A comunicação sempre foi tema na humanidade e seu estudo tem sido profundamente investigado.

A Fonoaudiologia chegou à Universidade no Brasil na década de 60 e, em 1968, foi fundado o Curso de Fonoaudiologia na Escola Paulista de Medicina (EPM). Idealizado pelo médico otorrinolaringologista Prof. Dr. Pedro Luiz Mangabeira Albernaz, o curso de Fonoaudiologia da EPM tinha dois anos de duração, quando formou a 1ª turma. Na sequência o neuroanatomista Prof. Dr. Raymundo Manno Vieira trabalhou incansavelmente para o reconhecimento e credenciamento do curso consolidando a carreira da Fonoaudiologia no país, por meio da formação de mestres e doutores que posteriormente migraram para outras cidades e estados do Brasil ampliando assim a formação do Fonoaudiólogo.

O reconhecimento da profissão ocorreu em 09 de dezembro de 1981, quando o Presidente da República sancionou a Lei nº 6965 regulamentando assim a profissão de fonoaudiólogo. A partir daí a profissão vem ampliando cada vez mais suas atuações, conforme as demandas do mercado de trabalho.

O que é a Fonoaudiologia?

fono

É uma profissão da área da saúde que pesquisa, promove e protege à saúde, realiza avaliação, diagnóstico, orientação e monitoramento de pacientes, clientes e familiares, aperfeiçoa a comunicação humana e realiza habilitação e reabilitação terapêutica, sendo que a formação do fonoaudiólogo permite que ele desenvolva seu trabalho tanto em serviços públicos (Universidades, Órgãos Administrativos e SUS) quanto em serviços privados (hospitais, empresas, consultórios, escolas, creches, rádio e TV, teatros, etc.) Além do trabalho clínico, o fonoaudiólogo atua assessorando pessoas que fazem o uso da voz no exercício da profissão.

Quais são as áreas de atuação?

Hoje as áreas de atuação do fonoaudiólogo compreendem:

  • Audiologia;
  • Linguagem;
  • Motricidade Orofacial;
  • Saúde Coletiva;
  • Voz;
  • Disfagia;
  • Fonoaudiologia Educacional;
  • Gerontologia;
  • Fonoaudiologia Neurofuncional;
  • Fonoaudiologia do Trabalho;
  • Neuropsicologia;
  • Fluência;
  • Perícia Fonoaudiológica;
  • Fonoaudiologia Hospitalar.

Seja qual for o modo de comunicação (oral, escrita, língua de sinais, expressões faciais, laringes artificiais, equipamentos alternativos, computadores e dispositivos eletrônicos), a intervenção por um profissional capacitado pode fazer muita diferença em sua performance.

Assim constituiu-se o fonoaudiólogo - um profissional capacitado para atuar no processo de comunicação do ser humano nas suas etapas de aquisição, desenvolvimento e abrangência da linguagem, quer nas suas manifestações de normalidade quer nos seus distúrbios, sejam eles de linguagem oral ou escrita, audição, fala, fluência, articulação, voz, respiração, mastigação ou deglutição.

Para a adequada atuação necessita compreender o indivíduo em relação à sua história de vida, sua situação em relação ao seu distúrbio e seu contexto sócio-econômico-cultural.

Nos dias atuais, com a pandemia da Covid-19 sentimos o quão difícil e necessária é a comunicação na sociedade, sendo que a principal queixa tem sido a falta de convívio social e, com ela, a necessidade de comunicação de maneira integral, ou seja, com a presença física, que possibilita a leitura corporal do outro, seus movimentos com as mãos, seu olhar e assim, de fato, “sentir o outro”.

Citando Behlau, M. “Ser fonoaudiólogo é ouvir uma lágrima, articular uma emoção, vocalizar um desejo, ler a alma e escrever um sorriso. Enfim, ajudar a expressar o que o homem tem de humano”.

Assim, seja qual for a sua atividade pessoal ou profissional, independentemente do estágio da sua vida, a boa comunicação assessorada por um fonoaudiólogo é sempre muito bem vinda!

silvanabommarito

 

Silvana Bommarito Monteiro

Professora Associada do Departamento de Fonoaudiologia da Escola Paulista de Medicina - EPM/Unifesp. Membro do Conselho do Programa de Pós Graduação em Distúrbios da Comunicação Humana da EPM/Unifesp. Coordenadora do Núcleo de Investigação Fonoaudiológica em Motricidade Orofacial do Curso de Fonoaudiologia da EPM/Unifesp.
Chefe do Departamento de Fonoaudiologia da EPM/UNIFESP. Docente da Disciplina Integrada de Motricidade Orofacial, Disfagia e Voz do Departamento de Fonoaudiologia da  EPM/Unifesp. Atua interdisciplinarmente com a Ortodontia e Otorrinolaringologia pediátrica e tem experiência na área de Fonoaudiologia, com ênfase na prevenção, diagnóstico e tratamento nas áreas de voz, motricidade orofacial, incluindo distúrbios respiratórios do sono, e fala. Outras informações, clique aqui.

 

 

 

 

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
Categoria:

Enfermaria do HSP/HU/Unifesp recebe nome de docente da EPM

Era um dos professores mais queridos da instituição

Uma breve viagem no túnel do tempo...

Disciplina de Anatomia preserva relógio centenário, entre outras relíquias

Dia Internacional da Língua de Sinais

Mais de 70 milhões de pessoas vivem com surdez

Fim do conteúdo da página