Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > NOTÍCIAS > Você pensa que tuberculose é coisa do passado?
Início do conteúdo da página

Você pensa que tuberculose é coisa do passado?

Publicado: Terça, 23 de Março de 2021, 20h45 | Acessos: 15951

24/03 -  Dia Mundial de Combate à Tuberculose

O dia 24 de março representa o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, em homenagem ao dia da descoberta do bacilo causador da doença pelo médico alemão Robert Koch, em 1882. Esta data representa uma mobilização mundial que objetiva mobilizar e conscientizar a população sobre a doença e suas ações de controle.

 

Robert Koch

O pesquisador, médico, patologista e bacteriologista alemão dedicou sua vida para estudar germes e entender como micro seres vivos podem causar infecções e doenças, tendo contribuído para a identificação do bacilo da tuberculose e da cólera. (Crédito da imagem: DW)

 

Cenário Epidemiológico

A tuberculose representa uma das dez principais causas de morte do mundo e a principal causa por um único agente infeccioso.

A tuberculose ainda existe no nosso meio e é considerada um problema de saúde pública, embora muitas pessoas acreditam que seja uma doença do passado. Antigamente, era atribuída a um mal, sendo compreendida como uma condenação ou um castigo divino. A doença era associada a uma vida desregrada, ligada à boemia. Com isto, criaram-se tabus e crenças a seu respeito que até hoje refletem no controle da doença, tais como estigma, preconceito e discriminação.

Segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), um quarto da população mundial está infectada pelo Mycobacterium tuberculosis e em risco de desenvolver a doença. Em 2019, foram notificados 7,1 milhões de casos de tuberculose no mundo.

O Brasil faz parte dos 30 países com maior carga de tuberculose, tendo notificado no mesmo ano, 73.864 casos novos, o que representa um coeficiente de incidência de 35 casos/100 mil habitantes.

 

O que é?

A tuberculose (TB) é uma doença causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch (BK). Atinge principalmente os pulmões (chamada tuberculose pulmonar), mas pode acometer outros locais (tuberculose extrapulmonar).

No entanto, nem todas as pessoas infectadas pelo bacilo de Koch desenvolvem a doença. O bacilo pode permanecer no organismo durante anos, sem que a pessoa adoeça por TB. Isto é conhecida como Infecção latente por tuberculose (ILTB).

Estima-se que:

  • Uma pessoa com BK + pode infectar em média 10-15 pessoas/ano;
  • 10% das pessoas infectadas pelo M. tuberculosis virão a adoecer, sendo: 5% nos primeiros dois anos e 5% ao longo da vida.

 

tuberculose esquema

(Crédito: AUSPIN)

 

Sintomas 

Entre os principais sintomas da tuberculose estão:

  • Tosse seca ou com secreção por mais de três semanas, podendo evoluir para tosse com pus ou sangue;

  • Febre baixa geralmente no período da tarde;

  • Suor noturno;

  • Emagrecimento;

  • Falta de apetite;

  • Cansaço;

  • Dores no corpo

 

Transmissão

Ocorre de pessoa a pessoa, por meio do bacilo expelido pela tosse, espirro ou fala de uma pessoa com tuberculose pulmonar ou laríngea. Ambientes fechados, mal ventilados, com ausência de luz solar e com aglomeração aumentam a chance de transmissão.

 

 

transmissão da tuberculose

Quando o paciente com tuberculose tosse, fala ou espirra ele espalha no ar gotas pequenas, mas muito pequenas mesmo, com o agente infeccioso da TB (Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch). Aí, uma pessoa com boa saúde que respire este ar, pode levar este micróbio para o seu pulmão. É assim que acontece o contágio: o micróbio da TB penetra no organismo das pessoas pela respiração. Portanto, a TB não se transmite pelos talheres, pelas toalhas, pelos pratos, pelo abraço… A TB só se transmite pela tosse, fala ou espirro. (Crédito da imagem: UFPB)

 

Diagnóstico e Tratamento

O apoio do profissional de saúde, família e amigos é fundamental para que a pessoa com tuberculose realize o tratamento até o final.

O diagnóstico é feito pela história de adoecimento da pessoa e também pelo exame clínico. Os principais exames para o diagnóstico da tuberculose pulmonar são: baciloscopia, teste rápido molecular e cultura. Existem outros exames adicionais que podem ser indicados: radiografias, biópsias ou tomografias.

O tratamento é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e tem duração de no mínimo seis meses, sendo dividido em duas fases: de Ataque (primeiros dois meses) e de Manutenção (4 meses).

 

Prevenção

  • A vacina BCG (Bacilo Calmette-Guérin) protege contra as formas graves da doença, como a tuberculose miliar e meníngea. É aplicada em crianças do nascimento aos cinco anos de idade;
  • Manter ambientes bem ventilados e com entrada de luz solar;

  • Proteger a boca com o antebraço ou com um lenço ao tossir e espirrar (higiene da tosse);

  • Evitar aglomerações. 

 

Populações vulneráveis

A tuberculose é uma doença que acomete com maior frequência pessoas do sexo masculino, adultos jovens e socialmente menos favorecidas.

Destacam-se algumas populações mais vulneráveis ao adoecimento por tuberculose, tais como: pessoas vivendo com HIV, privadas de liberdade, em situação de rua, indígenas, profissionais de saúde, usuários de álcool e outras drogas, pessoas com diabetes mellitus e tabagistas.

gráfico vunerabilidade tuberculose(Crédito: CGPNCT/SVS/MS) 

 

 

banner ministério da saúde

 

 

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Cartilha para agentes comunitários de saúde: Tuberculose. Brasília; 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil. Brasília; 2019.

Brasil. Ministério da Saúde. Boletim Tuberculose. Brasília; 2020.

World Health Organization. Global Tuberculosis Report 2020. Geneva: WHO; 2020.

 

 

paula hinoPor Paula Hino

Enfermeira e professora do Departamento de Saúde Coletiva da Escola Paulista de Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo (EPE/Unifesp). Membro do Comitê Técnico Assessor à Tuberculose do Ministério da Saúde. Outras informações, clique aqui.

 

 

 

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
Categoria:

"Colinho Meu": alunas e professoras da EPE lançam livro sobre a importância do colo

Obra infantil ilustra as necessidades de acolhimento no primeiro ano de vida do bebê

Discentes da EPE/Unifesp elaboram HQ sobre a Síndrome de Prader-Willi

História em quadrinhos ajuda na identificação de sintomas da síndrome

Junho Vermelho - Você é o tipo certo de alguém

14/06 - Dia Mundial do Doador de Sangue

Dia Mundial da Imunização

E você, anda em dia com as vacinas?

Fim do conteúdo da página