Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > GRADUAÇÃO > Projetos de Extensão
Início do conteúdo da página

Projetos de Extensão

Publicado: Quinta, 27 de Abril de 2023, 14h31 | Acessos: 1004

Mulher ação     

       MulherAção: Mulheres em ação pela saúde, cidadania e inclusão

 

Coordenadora do projeto: Profª. Drª. Camilla Pontes Bezerra

e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Vice coordenadora do projeto: Profª. Me. Danila Cristina Paquier Sala

e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Objetivo Geral:

-  Promover ações educativas voltadas à saúde, cidadania e inclusão social para mulheres com deficiência.

Objetivos Específicos:

- Oferecer espaços de discussão e visibilidade sobre ser mulher com deficiência e seus enfrentamentos;

- reconhecer as atividades de educação em saúde como recursos de estreitamento do diálogo entre a academia e a sociedade;

- promover a formação dos extensionistas, para além do desenvolvimento técnico;

- instigar ou aprimorar habilidades pessoais como liderança, planejamento, trabalho em equipe, dentre outras, durante as ações extensionistas, e

- reconhecer possibilidades de intersecção entre as ações extensionistas e a pesquisa, o cotidiano profissional e seus reflexos à sociedade.

 

Metodologia:

A operacionalização metodológica prevê reuniões quinzenais às terças-feiras (14 às 18 horas) para planejamento das ações extensionistas. As metas e atividades a serem cumpridas são:

- Ideação e discussão de temas.

- Seleção da temática para estudo e produção de material educativo.

- Planejamento da ação educativa.

- Distribuição das atividades entre os extensionistas.

- Operacionalização da atividade.

- Implementação da atividade.

- Avaliação dos resultados alcançados.

Nas ações educativas realizadas com as pessoas com deficiência utilizaremos o método de grupo focal. Os grupos focais propiciam um debate aberto e acessível em torno de um tema de interesse comum aos participantes. Os participantes de um grupo focal apresentam certas características em comum que estão associadas à temática central em estudo. O grupo deve ser, portanto, homogêneo em termos de características que interfiram radicalmente na percepção do assunto em foco.

 Mulher em ação

Fonte da Figura 1: REGO, Thais Cristina Figueiredo. Utilização de grupos focais em teses e dissertações do programa de pós-graduação em educação da Universidade Federal de Uberlândia. Revista Multitexto, 2013, v. 2, n. 01, 2013. Disponível em: https://www.ead.unimontes.br/multitexto/index.php/rmcead/article/view/125/67

 

Público-alvo: discentes do Curso de Graduação em Enfermagem e mulheres com deficiência.

 

Equipe executora:  

- Estudantes de graduação em enfermagem (da primeira à quarta série).

- Profª Drª Glícia Maria Pontes Bezerra - Assessoria de comunicação

- Demais membros da comunidade acadêmica, como: pós-graduandos, docentes com contribuição às áreas de pessoas com deficiências, estudantes universitários de outras profissões, dentre outros interessados.

  

 

FlorEscer

 

Coordenadora do projeto: Profª. Drª. Karla Oliveira Marcacine

e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Vice coordenadora do projeto: Profª. Drª. Danielle Castro Janzen

e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Objetivo Geral:

-  Desenvolver espaços de promoção à saúde das mulheres e a prevenção de agravos e doenças em todo o seu ciclo vital, proporcionando aos extensionistas, além da experiência prática profissional e a qualificação do cuidado, a reflexão quanto a inserção e representatividade da mulher na sociedade e, seu papel ético e político como cidadão nas questões relativas à saúde das mulheres, incluindo aquelas em situação de vulnerabilidade e em sofrimento psiquico.

Objetivos Específicos:

- Reconhecer as atividades culturais como recursos de estreitamento do diálogo entre a academia e a sociedade;

- Promover a formação dos extensionistas, para além do desenvolvimento técnico;

- Instigar ou aprimorar habilidades pessoais como liderança, planejamento, trabalho em equipe, dentre outras, durante nas ações extensionistas;

- Incentivar a formação do estudante da EPE/UNIFESP para a assistência à saúde da mulher, com visão multi e interdisciplinar, por meio da vivência extensionista;

- Articular diálogos sobre demandas em saúde que dizem respeito às mulheres, com foco na promoção da saúde, favorecendo o autocuidado, a autoavaliação e o autogerenciamento individual e coletivo;

- Proporcionar aos extensionistas compartilhar os conhecimentos adquiridos, ao longo das Unidades Curriculares e das atividades da Liga de Enfermagem em Ginecologia e Obstetrícia (LEGO), de forma simples e integrada, cientificamente embasada, didática, crítica-reflexivo-criativa e consciente da participação interdisciplinar na construção da qualidade em saúde, para a sociedade em geral, em especial, de mulheres;

- Pesquisar, planejar e implementar práticas assistenciais baseadas em evidências científicas direcionadas à promoção da saúde das mulheres;

- Desenvolver atividades práticas de assistência à saúde da mulher, gestante, parturiente e puérpera, no âmbito da atenção primária (Unidades Básicas de Saúde), secundária (Ambulatoriais) e terciária (Hospitalar), assim como, para a promoção da saúde das funcionárias da instituição (EPE / UNIFESP) e demais serviços envolvidas;

- Desenvolver e promover ações assistenciais e de educação em saúde, presenciais e à distância, para as mulheres e para aquelas em situação de vulnerabilidade (LGBTQIA+, adolescentes, mulheres negras, com deficiência, privadas de liberdade ou institucionalizadas, em situação de rua, usuárias de substâncias psicoativas, profissionais do sexo, imigrantes, indígenas, lésbicas, transgênero, vítimas de violência domésticae por parceiro íntimo) e, para as mulheres em sofrimento psíquico, no âmbito da Saúde Mental Perinatal;

- Promover a implementação das práticas integrativas e complementares em saúde;

- Elaborar projetos de educação popular com parceiros institucionais e comunidade, visando desenvolver ações, atitudes e práticas coletivas que promovam a saúde das mulheres;

- Viabilizar a comunicação e intersecção entre os diversos níveis de atenção à saúde e a Universidade, a fim de promover a construção de conhecimentos e cuidar de forma holística da saúde das mulheres;

- Produzir materiais didáticos, referente ao conteúdo de Saúde da Mulher, utilizando linguagem clara, atual, didática e acessível, de acordo com a população alvo;

- Divulgar, no formato digital, os materiais didáticos desenvolvidos nas Páginas do Instagram e Facebook do Projeto FlorEscer, bem como, na Página do Departamento de Enfermagem na Saúde da Mulher, vinculado ao site da EPE/UNIFESP;

- Divulgar e distribuir, de forma presencial, os materiais didáticos desenvolvidos em locais públicos de alta circulação, como ruas, estações de trem, metrôs e shoppings;

- Favorecer a formação de vínculo interpessoal com as mulheres e famílias, por meio da comunicação efetiva, realizada pessoalmente e por contato telefônico;

- Incentivar o emprego de estratégias inovadoras de educação em saúde para construção de habilidades para o autocuidado à mulher;

- Promover discussões crítico-reflexivas sobre as questões relativas à saúde da mulher, especialmente pelo viés das políticas públicas voltadas a essa população;

- Colaborar para a qualificação dos profissionais envolvidos nas Instituições em que o Projeto desenvolverá suas atividades;

- Reconhecer possibilidades de intersecção entre as ações extensionistas e a pesquisa, o cotidiano profissional e seus reflexos à sociedade;

- Desenvolver projetos de pesquisas relacionadas aos temas a serem trabalhados, bem como, estudos sobre as melhores práticas assistenciais e educativas por meio da interação interdisciplinar e da participação conjunta da mulher e família;

- Participar e promover eventos científicos-culturais na área de Saúde da Mulher.

 

Metodologia:

Para alcance dos objetivos, optou-se pela pesquisa-ação como método de intervenção, por envolver etapas consecutivas que são complementares e interdependentes. Os resultados retroalimentam o processo e as pesquisas são conduzidas por atores que estão no cenário. A escolha por este método se deu pela aproximação do conceito de pesquisa-ação com os princípios do projeto de extensão. Assim, na proposta atual buscou-se associar as atividades assistenciais, de ensino e pesquisa nas partes constitutivas da pesquisa-ação: ação, monitoramento, avaliação e planejamento, como demonstrado na Figura abaixo.

FlorEser

 

Serão realizados encontros semanais com os ligantes e extensionistas para capacitação, planejamento, organização, implementação e avaliação das atividades a serem realizadas. Os encontros ocorrerão às terças-feiras, das 14 às 18h, no formato online ou presencial, nas dependências da EPE ou Campus São Paulo, com a finalidade de:

  • ideação e discussão dos temas e ações a serem discutidos / desenvolvidos;
  • capacitação dos estudantes envolvidos;
  • planejamento das ações a serem desenvolvidas;
  • distribuição das atividades entre os extensionistas;
  • elaboração das atividades / ações;
  • operacionalização da atividade;
  • implementação e;
  • avaliação dos resultados alcançados.

 

Público-alvo: 

- Discentes regularmente matriculados na primeira à quarta série do Curso de Graduação em Enfermagem da EPE/UNIFESP e, aqueles aprovados e regularmente efetivos na Liga de Enfermagem em Ginecologia e Obstetrícia (LEGO).

- Mulheres, incluindo aquelas em situação de vulnerabilidade (LGBTQIA+, adolescentes, mulheres negras, com deficiência, privadas de liberdade ou institucionalizadas, em situação de rua, usuárias de substâncias psicoativas, profissionais do sexo, imigrantes, indígenas, lésbicas, transgênero, vítimas de violência doméstica e por parceiro íntimo) e em sofrimento psíquico, no âmbito da Saúde Mental Perinatal, sendo estas, também, aquelas que fazem parte dos espaços associados e/ou vinculados à Universidade (funcionárias da instituição e serviços de saúde envolvidos).

 

Equipe executora:  

- Estudantes da primeira à quarta série do Curso de Graduação em Enfermagem da EPE da UNIFESP, regularmente matriculados nas UCs Saúde da Mulher e Reprodutiva I e II;

- Estudantes aprovados e regularmente efetivos na LEGO;

- Docente Colaborador: Profª. Drª. Camilla Pontes Bezerra;

- Técnico Administrativo em Educação Colaborador: Enfª Me. Vânia Lopes Pinto;

- Monitores: estudantes do Curso de Graduação em Enfermagem, aprovados nos Projetos de Monitoria da EPE/UNIFESP.

 

 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
Categoria:

Projetos de Extensão

             MulherAção: Mulheres em ação pela saúde, cidadania e inclusão   Coordenadora do projeto: Profª. Drª. Camilla...

UC Psicologia II

Unidade Curricular Psicologia II Curso de Graduação em Enfermagem - 3ª série   Profa. Dra. Erika de...

LEGO

  LIGA DE ENFERMAGEM EM GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA (LEGO)   A Liga Acadêmica de Enfermagem em...

UCSMRII

Unidade Curricular Saúde da Mulher e Reprodutiva II Curso de Graduação em Enfermagem - 3ª série...

Fim do conteúdo da página