Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Você sabe o que é AVC?

Publicado: Quinta, 28 de Outubro de 2021, 00h00 | Acessos: 30684

Saiba como identificar os sinais

O Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC), em 29 de outubro, busca enfatizar a gravidade e as altas taxas de AVC e também aumentar a conscientização sobre a prevenção e o tratamento. A campanha global, criada pela World Strok Organization (WSO), busca transmitir informações de qualidade para que a população saiba identificar os sinais do AVC e procure ajuda o mais rápido possível, mesmo durante a pandemia.

O AVC  também é conhecido como derrame cerebral e faz parte do grupo das doenças vasculares, assim como o infarto do miocárdio.

Por que é importante conhecer o AVC?

É importante lembrar que o AVC pode ocorrer em pessoas de todas as idades!

Há cerca de 58 milhões de mortes/ano no mundo, e pelo menos 10% delas são por AVC. No Brasil, o AVC é a segunda causa de mortes e 10% de todas as internações hospitalares.

Outro dado preocupante é que 85% das mortes por AVC ocorrem, atualmente, em países em desenvolvimento, como o Brasil. Isso ocorre porque nesses países,  o controle de doenças como hipertensão arterial e diabete não é feito adequadamente.

É importante ter em vista, sobretudo, que a população mundial está envelhecendo, o que torna o impacto das doenças cerebrovasculares ainda mais preocupante.

Tipos de AVC

Há dois tipos principais de AVC: o AVC isquêmico (AVCI) e o AVC hemorrágico (AVCH). Confira as imagens abaixo para compreender as diferenças:

 

tipos de avc

No AVCI há um entupimento de uma artéria, o que impede a passagem do sangue dali para a frente, levando a lesão no tecido cerebral por falta de oxigênio e no AVCH ocorre um extravasamento de sangue para fora da artéria, levando à formação de um hematoma dentro do tecido cerebral.

Quais são os fatores de risco da doença?

Os principais fatores de risco para o AVC são:

  • Hipertensão arterial;
  • Diabete;
  • Colesterol e triglicérides elevados;
  • Tabagismo;
  • Obesidade e
  • Sedentarismo.

É preciso prestar muita atenção para perceber que estes são fatores de risco tratáveis ou modificáveis, ou seja, é possível controlar estas doenças com medicamentos e dietas adequadas, de forma a minimizar as chances de o indivíduo ter um AVC! E isso é muito bom!

Como desconfiar que alguém está tendo um AVC?

O início do AVC é sempre súbito; é um evento que se instala abruptamente, em minutos. Então, sempre que houver alguma alteração física relevante que inicia subitamente, deve-se pensar em AVC.

Preste atenção!

Se você estiver perto de alguém que apresente subitamente: fraqueza ou dormência de uma perna, de um braço ou de um lado do corpo; ou que têm alteração súbita da fala (começa a falar enrolado ou parece não entender o que você fala), ou fica com a boca torta, ou deixa de enxergar. Ou mesmo tem uma dor de cabeça muito forte, ou um desmaio...qualquer destes sintomas, se aparecerem de repente, devem fazer o indivíduo suspeitar de AVC.

Se ficar na dúvida, faça o teste SAMU:

samu avc
(Fonte: Ministério da Saúde)

O que fazer ?

Se estiver perto de alguém que está com suspeita de AVC, chame o SAMU!!! O telefone do SAMU é 192!
O paciente será levado a um Pronto Socorro para ser atendido o mais breve possível!


E por que é tão importante ir rápido a um Pronto Socorro?


Porque quanto antes forem iniciadas as medidas de tratamento ao doente que teve um AVC, menor será a extensão da lesão cerebral, e, portanto, o indivíduo terá uma sequela menor, ou até sequela nenhuma, podendo retomar suas atividades o mais breve possível.

O que pode ser feito para prevenir o AVC ?

Como citado anteriormente, os principais fatores de risco para que o AVC ocorra são tratáveis ou modificáveis. Então, aqui vão algumas dicas preciosas para que você e seus familiares evitem o AVC:

  • Pratique atividade física pelo menos 4 a 5 vezes por semana, por 30 a 40 minutos cada vez. Pode fazer a atividade física que você mais gostar! O importante é se mexer!
  • Faça visitas periódicas ao clínico geral, para ter certeza de que sua pressão arterial, seu açúcar no sangue e seu colesterol estão em níveis adequados.
  • Se houver qualquer alteração nestes níveis, não se desespere. O importante é fazer uso das medicações orientadas pelo seu médico, e fazer visitas periódicas a ele, para ter certeza de que está tudo bem.
  • Pare de fumar e evite o consumo de bebidas alcoólicas em dose excessiva.
  • Evite o stress, busque sempre o bem-estar mental!
  • Mantenha uma dieta bem balanceada. E se estiver acima do peso, inicie uma dieta para emagrecer.
     

  

bethferraz

 

Por Maria Elisabeth Matta de Rezende Ferraz

Médica neurologista da Disciplina de Neurologia da Escola Paulista de Medicina - EPM/Unifesp. Chefe do Pronto-Socorro de Neurologia do Hospital São Paulo. Outras informações: clique aqui

 



 

 

 

 

 

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa
 
Categoria:

Nota de Pesar - Falecimento do Senhor Francisco Diaz Marin

Pai do Docente da EPE, o Prof. Dr. Ricardo Sobhie Diaz

Programa Notifica reforça ações de vigilância epidemiológica no HSP/HU Unifesp

Atividades de extensão possibilitam a prática dos conhecimentos teóricos e contribuem no...

Edital 664/2021 Alojamento Coletivo Provisório - Convocados para segunda etapa análise

Relação dos estudantes convocados para segunda etapa da análise do edital do alojamento coletivo...

Janeiro Roxo: Perguntas frequentes sobre a Hanseníase

Material criado por alunos da graduação de Medicina sob orientação do Prof. Dr. Marcos César...

Fim do conteúdo da página