Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Segunda dose da vacina CoronaVac atrasada. O que fazer?

Publicado: Quinta, 20 de Maio de 2021, 15h50 | Acessos: 54090

Infectologista orienta a completar o esquema vacinal

Por Loane Carvalho

Ao menos 12 capitais brasileiras precisaram suspender a vacinação contra a Covid-19 devido à falta de doses disponíveis da CoronaVac. A interrupção na produção das doses foi ocasionada pela falta de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), vindo da China.

Por essa razão, milhares de brasileiros devem ser vacinados com a segunda dose após a data prevista, o que tem gerado dúvidas sobre os possíveis malefícios à imunização.

“Quem não conseguiu tomar a segunda dose no momento agendado deve tomar assim que possível. Vacinas dadas não são perdidas”, segundo Renato Kfouri, mestre em Infectologia Pediátrica pela Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp) e membro da equipe de estudo da vacina Oxford na Unifesp.

O médico ressalta ainda que a segunda dose não é um reforço, mas um esquema vacinal. “Uma dose só não é suficiente para garantir a imunização, são necessárias duas doses. Então não se trata de uma dose de reforço, a segunda dose não é um reforço de uma proteção conferida pela primeira dose, é uma segunda dose que completa o esquema vacinal composto por duas doses.”.

A seguir, o especialista responde às principais dúvidas sobre a questão:

Devo tomar a segunda dose da CoronaVac mesmo com atraso?

Sim. Em geral para todas as vacinas quando há algum atraso, seja porque o indivíduo esqueceu, seja porque ficou doente, entre a primeira e a segunda dose, seja porque não encontrou a vacina no período recomendado, ficou em falta, você deve completar o esquema vacinal assim que possível para que a gente consiga completar a proteção mais rapidamente.

E se o atraso passar de 28 dias, é preciso reiniciar a vacinação?

Vacinas dadas não são perdidas. Nem que esse atraso seja muito grande, jamais se começa o esquema. O cidadão deve tomar o quanto antes, evitar atrasos prolongados, completar o esquema vacinal, garantir a proteção sem reiniciar, ou seja, começar do zero e tomar de novo a primeira dose de outra marca, por exemplo.

O atraso de 28 dias na segunda dose pode causar algum prejuízo à imunização?

Não há estudos com a CoronaVac com intervalos maiores, por ser uma vacina nova ainda. Pode ser que com intervalos maiores que 28 dias se reflita numa proteção tão boa quanto, superior ou inferior. Por isso é recomendado fazer o esquema vacinal dentro do intervalo. Faltam estudos que comprovem como ficou a proteção do indivíduo até fazer a segunda dose. Então, provavelmente ele não está adequadamente protegido enquanto não a receber. A eficácia protetora no final do esquema deve ser a mesma, porém, a eficácia até que receba a segunda dose, não é conhecida, então, a recomendação é não deixar de tomar mesmo após esse período e continuar adotando as medidas de proteção como distanciamento social e uso de máscara.

 

questões vacina banner

Dúvidas frequentes sobre a Covid-19Esta página especial reúne as Perguntas e Respostas sobre o Coronavírus SARS-CoV-2 e a vacinação. Como se trata de uma doença recente, a cada momento novas evidências estão sendo reveladas. Por isso, as orientações técnicas podem ser redefinidas e é sempre importante verificar as datas de publicação dos conteúdos e buscar por informações atualizadas em sites de instituições confiáveis.

Navegue, tire suas dúvidas e compartilhe.

 

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
Categoria:

A Unifesp conta com seu voto para obter recursos!

Votação acontece até o dia 30 de junho

Em visita ao HSP e laboratórios da Unifesp, deputado federal acompanha aplicação de emendas parlamentares

Unifesp mantém diálogo com deputados em busca de mais recursos para atividades de assistência,...

Fim do conteúdo da página